A primeira Euro de uma grande geração finlandesa

Durante a segunda metade de 2010, a Islândia se destacou entre os países nórdicos com grandes campanhas na busca por um lugar nos torneios de futebol do mundo, consequentemente as melhores casas apostas Eurocopa ficaram atentas as seleções com maior potencial. Se os islandeses ficaram próximos de assegurar vaga para a Copa do Mundo do Brasil em 2014, sendo parados somente pela Croácia nos playoffs, o time de Gylfi Sigurdsson finalmente atingiu o seu auge ao ganhar o passaporte para disputar a Eurocopa de 2016 na França, vencendo a Inglaterra e chegando até as quartas da competição, e ao se classificar para a Copa do Mundo de 2018, o que colocou o país nórdico como a menor nação em relação ao número de habitantes ao chegar num campeonato mundial em toda a história.

Com a Islândia servindo como inspiração, outro país da região da Escandinávia viu seu sonho de competir no mundo dos grandes no universo das seleções se transformar em realidade. Em outubro de 2008, a seleção sub-21 da Finlândia conseguiu a sua primeira classificação para a Eurocopa da categoria. Na ocasião, Jukka Raitala, Joona Toivio, Tim Sparv, Teemu Pukki e o treinador Markku Kanerva participaram da Euro Sub-21 de 2009, sediada na Suécia, para enfrentar Inglaterra, Alemanha e Espanha num grupo extremamente complicado e, de forma lógica, foram eliminados na fase de grupos.

Curiosamente, 11 anos depois, a seleção principal da Finlândia repetiu o feito da Sub-21 na categoria máxima ao deixar para trás seleções como a Grécia, campeã em 2004, e a Bósnia, que conta com jogadores como Miralem Pjanic e Edin Dzeko, no grupo J. Ao vencer a seleção de Liechtenstein por 3 a 0 na sexta do dia 15 de novembro de 2009, os finlandeses asseguraram de forma matemática a segunda vaga do grupo, liderado pela seleção da Itália, para assegurar de forma direta o seu lugar na fase de qualificação e garantir a primeira participação do país na fase final do campeonato continental de seleções da Europa. 

Da mesma forma como fizeram com a seleção sub-21, Raitala, Toivio, Sparv e Pukki estiveram em campo e foram comandados por ninguém menos que Kanerva. O treinador, que deixou o comando do time jovem em 2010 para se tornar auxiliar da principal em 2011, se tornou treinador da seleção maior em 2016 e também realizou um bom trabalho na primeira edição da UEFA Nations League de 2018/2019, garantindo a promoção da Liga C à Liga B. Caracterizado como teórico pelo passado como professor, o treinador recebeu elogios do capitão Tim Sparv: “Ele é muito aberto e dá muita responsabilidade para os jogadores, o que é muito bom para os jogadores”, disse o meia de 33 anos, que faz parte das seleções de base do seu país desde 2002.

A classificação para a Euro de 2020 provocou inúmeras reações logo após a partida contra Liechtenstein e até o primeiro ministro Antti Rinne se manifestou nas redes sociais, dizendo que “foi uma performance incrível”. Após contar com uma das maiores armas ofensivas com a figura de Jari Litmanen, multicampeão com o Ajax nos anos 90, e com outras estrelas, como o zagueiro, Sami Hyypia, a Finlândia liderada por gente como Tim Sparv e Teemu Pukki, está pronta para estrear com o pé direito, ou com o esquerdo, dependendo de quem der o pontapé inicial, na Eurocopa pela primeira vez em toda a sua história.  

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here