Um dos homens mais inteligentes do mundo é luso-brasileiro

Brasileiro qualificado como um dos homens mais inteligentes do mundo aplica a filosofia na imprensa e lançará segundo livro este ano 

Fabiano de Abreu,
Fabiano de Abreu,

Qualificado pela Mensa – mais antiga e conceituada sociedade de QI alto do mundo – como um dos seres humanos mais inteligentes do planeta, o brasileiro Fabiano de Abreu, um carioca de 37 anos residente em Portugal, espera mais apoio de autoridades e sociedade para os cidadãos com capacidade intelectual acima da média.

Na opinião do gênio brasileiro, com Quociente de Inteligência superior a 180 (categoria acima de superdotado), a indiferença ou falta de conhecimento governamental sobre a questão prejudica o próprio Brasil no plano internacional.

Fabiano lançará este ano seu segundo livro, sob o título Filosofando a Imprensa, e além de jornalista premiado no Brasil e no exterior, inclusive por seu papel como assessor de imprensa e grande criador de personagens na mídia, também é filosofo e pesquisador de diversas áreas do conhecimento humano. Atua ainda como empresário e faz a divulgação de artistas como Latino, do ex-jogador Dejan Petkovic, da lutadora Cris Cyborg e do ator português Eric Santos.

O gênio brasileiro fez três testes de QI e segundo a classificação numérica obteve um resultado acima de 180. Para comparação, o criador da Apple, Steve Jobs, tinha 140 de QI, o multibilionário Bill Gates 152 e o famoso e recém-falecido cientista Stephen Hawking 160.

Tais números já colocam Fabiano de Abreu em um seleto grupo em nível mundial. Porém, o fato permanece desconhecido de muitos ou subvalorizado no Brasil, o que segundo o filósofo e jornalista prejudica a própria imagem e crescimento intelectual do País.

Fabiano de Abreu
Fabiano de Abreu

– Muitos pensam que alguém com um QI tão alto é uma espécie de super-herói intelectual, mas longe disto. A ignorância pode ser uma benção para muitos, pois lhes permite seguir na vida sem um olhar tão crítico. Porém, quem tem uma capacidade de absorção de conhecimento e criatividade tão elevadas, pode ter um papel social muito importante para um País, uma Nação. O Brasil não valoriza e nem aproveita essas pessoas – lamenta Fabiano.

Além da alta classificação no teste numérico, o carioca também obteve 99% no teste de metodologia Percentil, adotado pela sociedade britânica Mensa. Para fazer parte do seleto quadro de gênios da humanidade da instituição deve-se ter um mínimo de 98%, lembrando que os 100% não são considerados possíveis.

– Atualmente, o teste Percentil é considerado mais próximo da realidade quando aferimos o QI de uma pessoa, permitindo mais uniformidade, pois existem diversos testes numéricos, dependendo de quem os aplica e dos que a eles se submetem. O Percentil 99% pode ser de 180 a 220, dependendo do tipo de teste – explica o gênio brasileiro.

Sobre a situação dos gênios nacionais, alguns exemplos são o apresentador Jô Soares (QI 156) e o músico Roger Moreira, da banda Ultraje a Rigor, que chega a marca de 172. Segundo Fabiano Abreu, o Brasil pode ter muitos homens e mulheres de alto QI, ainda anônimos, embora sua criatividade, capacidade de observação e absorção de conhecimento acabem por dar-lhes destaque em seus próprios ambientes sociais, mesmo que mais humildes.

– O governo e a sociedade deveriam dar mais valor e promover testes para descobrir e incentivar estes talentos excepcionais. A Mensa também tem uma sede no Brasil, no Estado de São Paulo, e provas em diversas cidades de nosso País e está interessada em colaborar neste esforço – defende o filósofo e jornalista.

A India, explica Fabiano Abreu, é um país emergente muito observado por “caçadores de gênios” dos Estados Unidos e nações europeias e que estimula seus habitantes com capacidades mentais acima da média. Muitos Indianos estão empregados em empresas de altíssima tecnologia e em outras áreas nestes gigantes do chamado Primeiro Mundo.

– O Brasil é um País de sobrevivência no qual as pessoas têm de ser muito criativas e dinâmicas para conseguirem se manter. Isto colabora para aflorar as capacidades acima da média, inclusive ou principalmente em períodos de crise. Somos como um comboio social e não vivemos sozinhos e os gênios de alto QI têm um legado a deixar para seus descendentes, mas também para seu povo. Não busco o reconhecimento e valorização disto por pura vaidade, mas pelo próprio povo brasileiro, pelas gerações que se seguirão – enfatiza Fabiano de Abreu.

Fabiano de Abreu
Fabiano de Abreu
Filosofando a imprensa

O segundo livro do filósofo Fabiano, Filosofando a Imprensa, será lançado até o final deste ano, com selo da Pandorga Editora. O primeiro, publicado pela Editora Albatroz, teve o título de Viver Pode Não Ser Tão Ruim e contem reflexões filosóficas do autor.

Fabiano tem larga experiência como assessor de imprensa – tendo já recebido prêmios nacionais e internacionais por sua atuação no setor – e comanda a agência de comunicação e mídia social MF Press Global. Reside em Portugal há alguns anos e é diretor da Coalização Internacional do Imigrante (CMI). Casado e pai de uma menina de nove anos, que já escreveu seu primeiro livro, o brasileiro está às vésperas de ser pai pela segunda vez, agora de um menino.

– Infelizmente, a sociedade atual em larga medida caiu em termos de qualidade cultural e intelectual em geral. A filosofia pode ajudar a corrigir isto e é muito útil também num setor tão fundamental de qualquer sociedade como é a imprensa – adianta o filósofo brasileiro.

A obra deverá ter o perfil de um manual com algumas informações sobre as estratégias que já consagraram Fabiano de Abreu como um jornalista de sucesso e criador de perfis na mídia. Ele assessora clientes que, somados, chegam a 100 milhões de seguidores nas redes sociais.

– Costumo realizar um mapeamento filosófico da pessoa e de como ela poderia ser vista na sociedade, a partir de como entendo o funcionamento da própria sociedade. A partir daí crio estratégias para que ela possa despertar o interesse e seja comercialmente interessante – explica Fabiano.

Fabiano de Abreu
Fabiano de Abreu

O filósofo brasileiro lembra, porém que não cria algo para que seu cliente seja famoso, mas apenas o necessário para que se torne interessante em termos comerciais, um bom produto. Tal método é o que ele pretende apresentar em Filosofando a Imprensa.

– O título faz a matéria, ou seja, o tema faz a diferença. Onde a filosofia entra? O filósofo enxerga e faz enxergar a vida de outra maneira. Alguém me contrata, eu estudo seu passado, presente e o que almeja para o futuro. Mostro o que ela poderia alcançar e mesmo como. Ela segue as orientações e com o tempo percebe que seu objetivo se concretizou – assinala.

Entre os personagens de sucesso lançados pela mente extremamente criativa de Fabiano de Abreu estão, por exemplo “a musa da cinturinha fina” (Fernanda D’ávila, ex-bailarina do Faustão), “Mendigata” (Fernanda Lacerda) e “A Máquina do MMA” (Cris Cyborg).

Já foram mais de 500 personagens criados pela MF Press Global. O sucesso já rendeu ao brasileiro, em 2016, um prêmio como jornalista e assessor de imprensa que criou mais personagens para a imprensa nacional e internacional. Um reconhecimento da National Films and TV Academy e pelo Personalidades Melhores do Ano, pelo seu trabalho e contribuição ao segmento.

O cantor português Eric Santos, o angolano Adi Cudz e a nutricionista Bella Falconi também estão na grande lista de clientes de destaque do filósofo e jornalista brasileiro radicado em Portugal.

– Toda esta experiência de sucesso e as estratégias que têm funcionado para que nossos clientes atinjam seus objetivos quando nos contratam e obtenham a máxima satisfação serão, de alguma maneira, explicitadas em Filosofando a Imprensa. Pensar a imprensa e refletir sobre seu papel também são pontos fundamentais – conclui Fabiano de Abreu.  

O brasileiro também é dono ou colaborador de vários portais e jornais no Brasil e em Portugal, como Live News Portugal, LN Brasil e o único portal do gênero no município português de Paiva, além de uma coluna no Cartão de Visita do R7 e muitos outros.

Autoestima para recomeçar 

Filho de Maria Ascenção de Abreu Rodrigues, uma portuguesa da Ilha da Madeira, e de José Rodrigues, brasileiro de uma família de origem norueguesa e inglesa, Fabiano de Abreu estudou em escolas católicas no Rio de Janeiro, sua cidade natal, e especializou-se em informática, setor no qual atuou por dez anos. Foi distribuidor de hardware e software importados da China e dos Estados Unidos, mas sua vida profissional mudou completamente em 2008.

– Na época, como se sabe, ocorreu uma severa crise e perdi todas as minhas empresas. E eu tinha sido um próspero empresário. Tentei ajuda do governo brasileiro e não obtive, acionei a Justiça em algumas demandas nas quais queria apenas meus direitos reconhecidos e respeitados e não tive sucesso, graças à lentidão e ineficiência do Judiciário brasileiro. Tive então de recomeçar tudo – lembra o brasileiro reconhecido como um dos homens mais inteligentes do mundo.

Os devastadores efeitos da crise deram, porém, vazão à grande criatividade e capacidade de adaptação dos verdadeiros seres humanos de alto QI, além da abertura a novos conhecimentos. Em busca de mais tranquilidade, migrou para Portugal mais tarde, para uma vila de apenas 14 mil habitantes chamada de Castelo de Paiva.

– Em Portugal o governo ajuda financeiramente o empresário. Além disso, se alguém tem algum projeto para abrir uma empresa, e este projeto é interessante, o mesmo governo dá o dinheiro necessário. Não empresta, dá – enfatiza o filósofo e empresário brasileiro sobre o país que o acolheu.

Fabiano resolveu abrir inicialmente uma agência de modelos, a MF Models, que mais tarde veio a ser a MF Press Global, assessoria de imprensa, mídia social e press release, grupo consolidado e com sedes em Portugal, Brasil e Estados Unidos.

– Consegui bons contatos entre frequentadores da noite e comecei a empresariar modelos, mas quando vi que os nomes de maior destaque tinham suas próprias assessorias de imprensa resolvi migrar de ramo e o sucesso veio algum tempo depois, com muito trabalho e dedicação – relembra Fabiano.

A MF Press Global começou sua atuação em 2013 e em apenas seis anos já avançou muito, com centenas de clientes satisfeitos e um nome reconhecido internacionalmente. Fabiano de Abreu dá a receita para recomeçar do nada.

– Além é claro de criatividade e da capacidade de observação, algumas das características são importantes como a auto estima e não esperar sentado as coisas caírem do céu. Sabendo de seu real potencial, focando nas metas com dedicação, mas sem atingir ou prejudicar os outros, ou acabará numa espécie de narcisismo ou egoísmo – aconselha.

A necessidade de deixar um legado é algo sempre lembrado pelo brasileiro incluído no rol dos homens mais inteligentes do mundo. Fabiano de Abreu quer marcar a vida das pessoas, ajudando-as a enfrentar os grandes desafios da vida, sempre lembrando de sua transitoriedade e buscando o máximo de evolução, sucesso e plenitude.

– Somos a consciência da morte, essa é a única certeza que temos. Todo o resto é apenas um momento, um obstáculo, que penso ser necessário para a plenitude, a evolução e o sucesso. Ajudar as pessoas não me faz sentir algum tipo de santo, me faz sentir útil e ter a certeza de que mais pessoas lembrarão de mim após minha morte, para que minha vida não tenha sido em vão e não passe despercebido. Um legado. É a única coisa que deixamos – diz o filósofo e jornalista brasileiro.

Fabiano enfatiza que oferece seu tempo para doar questões filosóficas em prol da sociedade e já tentou que a imprensa divulgasse, mas muitos não se importaram. “Levanto questões do cotidiano que podem ajudar muita gente. Não quero lucrar nada com isso. Só quero que a terra em que cresci tenha um futuro, pois minha cognição disse que o futuro no Brasil está perdido em alerta total”, assinala o brasileiro com um dos QIs mais altos do planeta.

O português Pedro Pinheiro dos Santos, pesquisador científico e ecologista, cogitou a possibilidade do luso-brasileiro doar seu sêmen para colaborar com a futura formação de um novo contingente de seres humanos com QI acima da média da humanidade, o projeto ainda está sendo estudado pelo filósofo que disse querer entender melhor sobre essa questão.       

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here