Vigilância Sanitária faz agendamento nesta terça, 2, para a castração gratuita de mais 130 gatos

A Subsecretaria de Vigilância Sanitária e Controle de Zoonoses (Subvisa) realiza nesta terça-feira, dia 2, o agendamento para a quarta edição do Mutirão de Castração 2019, que acontece no próximo dia 13, segundo sábado de abril. São 130 vagas para gatos (65 machos e 65 fêmeas) e a inscrição é feita com senhas distribuídas a partir das 8h, por ordem de chegada no Instituto de Medicina Veterinária Jorge Vaitsman (IJV), que fica na Avenida Bartolomeu de Gusmão, 1.120, em São Cristóvão, na Zona Norte. Para se cadastrar, o dono do animal deve apresentar comprovante de residência e CPF, tendo direito à castração de até três animais.

Lançado em 2018, o mutirão castrou 780 animais em seis etapas. Mas com a grande aceitação do público, o projeto ganhou em 2019 uma edição por mês, dobrando o número de gatos castrados. Parte dos programas implantados pela Prefeitura do Rio para manter sob controle a epidemia de esporotricose (micose causada por um fungo que vive no solo e provoca sérias lesões em gatos, afetando também humanos), o mutirão contribui para a expressiva redução da quantidade de animais abandonados nas ruas.

– Conseguimos diminuir as chances de contaminação pela esporotricose, uma vez que gatos castrados tendem a perder o hábito de serem territorialistas e a disputar fêmeas com outros machos. Nessas brigas pode acontecer a contaminação, uma vez que os fungos se alojam nas garras dos felinos – explica a médica-veterinária Patrícia Nuñez, coordenadora de Vigilância em Zoonoses da Subvisa.

Reforço no Combate a Zoonoses – O mutirão da castração é uma das ações na área de zoonoses desenvolvidas pela Prefeitura, que em março ampliou a contratação de médicos-veterinários para a Vigilância Sanitária, proporcionando benefícios como zerar a demanda reprimida de consultas do IJV, onde os atendimentos diários a cães e gatos aumentaram 100% (de 50 para 100). As castrações na unidade também cresceram. São agora 20 por dia, quase 50% a mais das 14 anteriores. Com o reforço na equipe, a unidade passou a contar com mais dez vagas (foi de 50 para 60) para o tratamento da esporotricose, um acréscimo de mais 200 atendimentos ao mês. No geral, o instituto contabilizou um crescimento diário de cerca de 70%: de 114 para 180.

Entre outros avanços trazidos pelo reforço de profissionais, o Centro de Controle de Zoonoses (CCZ), em Santa Cruz, passou a oferecer diariamente o tratamento para esporotricose e aumentou de 180 para 300 o número de atendimentos semanais, um crescimento de 70%. Nas duas unidades, o serviço está disponível à população de segunda a sexta-feira, das 8h às 16h.

– Começamos 2019 com projetos fundamentais para a ampliação de nossos serviços. O reforço de profissionais é um deles. Entre nossas prioridades, aumentamos as vagas para o tratamento da esporotricose, que causa sérios problemas, em especial, na pele. Conseguimos também dobrar o mutirão da castração de gatos, nos permitindo avançar ainda mais com as ações de controle de zoonoses – adianta a médica-veterinária Márcia Rolim, subsecretária de Vigilância Sanitária da Prefeitura do Rio.

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here